Terra Boa de Nelore. E de Brangus tamb�m
A pecu�ria brasileira est� perdendo �rea nos �ltimos anos. Entre o censo pecu�rio de 1995 e o de 2006, houve uma redu��o de 5,36 milh�es de hectares na �rea de pecu�ria, frente a um aumento de 34,6 milh�es de hectares na �rea de lavouras e 5,59 milh�es de hectares na �rea de florestas. Nos �ltimos 10 anos, o processo se intensificou ainda mais. Estima-se uma perda de 15 milh�es de hectares neste per�odo mais recente.

Esse quadro � o grande desafio da atividade. Produzir mais em menos �rea. Ou seja, maior produtividade. Isso passa por melhores pastagens, t�cnicas inovadoras e adequadas de manejo e selecionar animais com o objetivo principal de encurtar o ciclo de produ��o.

Boas pastagens, bom manejo, sanidade em dia, gen�tica melhoradora, bezerros bem criados filhos de pais selecionados para produ��o de carne em menor tempo. Estas s�o as balizas que far�o uma pecu�ria de corte sustent�vel, no presente e mais ainda no futuro.

A Fazenda Terra Boa, h� mais de 50 anos, foca sua sele��o de Nelore em funcionalidade. Participa do programa da ANCP desde 1993 e mais recentemente do PMGZ. Selecionar pela efici�ncia funcional, mais carne por hectare, sem esquecer as caracter�sticas do Nelore que conferem ao animal todas as qualidades que fizeram desta ra�a, a grande respons�vel pelo destaque do Brasil na produ��o de carne bovina. H� 10 anos, a Terra Boa iniciou, tamb�m, a cria��o e sele��o da ra�a Brangus, com o objetivo de testar uma pecu�ria mais intensiva. A Sele��o Brangus JT, homenagem ao fundador da Terra Boa, meu pai Jos� Travassos, procura manter a adaptabilidade e a produtividade j� alcan�ada no Nelore Terra Boa com a precocidade do Angus. Tarefa dif�cil? Sem d�vida, muito dif�cil, mas os resultados tem sido bastante animadores.

Um pouco da nossa hist�ria Quando iniciei a sele��o do Nelore, h� 51 anos, a ra�a n�o era a maior da pecu�ria de corte do pa�s como � hoje. Mesmo entre os zebu�nos perdia em popularidade para o Gir e para o Indubrasil. Mesmo assim, escolhi o Nelore, n�o porque era o mais pesado ou o mais bonito, mas por sua funcionalidade.

Nosso rebanho comercial na d�cada de 50 era composto de vacas mesti�as com preval�ncia de sangue zebu e os touros eram da ra�a Gir. Ao comprar alguns bezerros nelore para recria e engorda ficamos entusiasmados com o resultado e resolvemos �anelorar� nosso rebanho comercial. Iniciamos pela compra de touros Nelore e passamos a selecionar as f�meas com esse objetivo.

Quem administrava as fazendas nessa �poca era meu primo Waldo Travassos, que implantou a Terra Boa e foi o respons�vel pela sua administra��o desde o in�cio, em 1.948, e seguiu at� 1963. O Waldo se entusiasmou pelo nelore e comprou o touro Mimoso, do selecionador Jo�o Zancaner, Mimoso foi o primeiro touro registrado a ser usado na nossa sele��o, era filho do Federal VR. Ainda nos anos 50, chegaram na fazenda quatro vacas Nelore registradas, oriundas da Fazenda Experimental de Sert�ozinho. Ainda me lembro do nome de tr�s, Rica, Quintana e Rutuca. Em 1.964, comprei um bezerro do Orestinho, Corisco OT, na feira da APCB(Associa��o Paulista de Criadores de Bovinos, hoje ABC ( Associa��o Brasileira de Criadores) no Parque da �gua Branca. Corisco era filho do Rodopio VR. Nessa �poca, comprei um lote de 20 vacas velhas do Orestinho e um lote maior da Fazenda Experimental. Em outubro de 1.965,nasceu o primeiro produto PO da sele��o nelore Terra Boa.

Em 1970, comprei de Torres Homem Rodrigues da Cunha o bezerro Hoder da Santa Cec�lia que se tornou um doador de s�men e foi muito importante na base de nossa sele��o.

Em 1984, o touro de nossa cria��o, Os�ris da Terra Boa, foi Grande Campe�o na EXPOZEBU e na EXPOINEL, nosso primeiro Grande Campeonato de uma hist�ria nas exposi��es pecu�rias que tenho muito orgulho.

Em 1985, junto com os companheiros M�rio de Almeida Franco J�nior, Alberto Laborne Valle Mendes, Claudio Sabino Carvalho e a Tr�s Coxilhas Agropecu�ria, fundamos o leil�o Noite dos Campe�es, em Uberaba, durante a EXPOZEBU.

Brangus JT Em Outubro de 2.003, arrendei uma fazenda em Dourados MS e comprei o gado do criador que me passou o contrato, eram 600 vacas Brangus, a maioria sem registro, e alguns touros. A fazenda era de terras fracas, um serrado arenoso e seco. Mesmo nessas prec�rias condi��es, o gado ia bem, o que me chamou aten��o para a ra�a. Arrendei essa fazenda at� 2008 e grande parte das vacas foram abatidas, mas fiquei impressionado com a produtividade do rebanho. Separei uma cabeceira de novilhas, registrei-as e comecei a sele��o do Brangus JT.

O sufixo JT � uma Homenagem a meu pai, Jos� Travassos dos Santos, o fundador da Terra Boa, cujo gado comercial usou sempre a marca JT.

Com a valiosa assessoria do t�cnico Jos� Luiz Arbiza, compramos alguns lotes de matrizes, inseminamos dos melhores touros, utilizamos a fecunda��o em vitro para aproveitar os melhores ventres, enfim, viramos selecionadores de Brangus. Nosso rebanho evoluiu muito, tem na sua genealogia a melhor gen�tica brasileira, argentina e americana, nossos produtos, quando participaram de exposi��es foram muito bem e s�o vendidos na fazenda no nosso leil�o anual, Touros Terra Boa.

Em todas as oportunidades de contato com nossos clientes, sempre nos preocupamos em ter informa��es sobre a adapta��o de nossos touros aos variados tipos de manejos e regi�es. Temos touros trabalhando em todo Brasil Central e no Norte, todos muito adaptados e com �timos resultados.

Escritrio: R. Lemos Conde, 73 Tel. (11) 3815-5706 CEP 05446-040 So Paulo-SP
Fazenda Terra Boa: Caixa Postal 171 Tel. (18) 3606-1132 / 9666-9926 CEP 16700-000 Guararapes-SP
fazterraboa@uol.com.br terraboa@uol.com.br